Como a Fisioterapia pode ajudar as mulheres no climatério

O período do climatério é de grande relevância na evolução biológica da mulher por determinar o fim do período reprodutivo. As intensas modificações endócrinas, metabólicas, funcionais e psíquicas expressam-se clinicamente em aproximadamente 40% das mulheres e, em alguns casos, podem prejudicar seu bem-estar.

A bexiga, a uretra e os órgãos genitais femininos possuem abundantes receptores estrogênicos. Com a deficiência hormonal na menopausa, atrofias fragilizam esses tecidos tornando-os menos vascularizados o que pode contribuir para a incontinência urinária.

Fenômenos vasomotores, conhecidos como ondas de calor e suores noturnos aparecem em 60% das mulheres e estão relacionados com a instabilidade do centro termorregulador estrógeno-dependente. Estudos mostram que mulheres menopausadas com sintomas vasomotores estão mais predispostas aos distúrbios de equilíbrio pelo aumento das oscilações posturais. Assim, o hipoestrogenismo parece acarretar o aumento do risco de entorses, quedas e fraturas devido à instabilidade no sistema nervoso central que altera as condições de equilíbrio.

Como a fisioterapia pode ajudar
A fisioterapia para mulheres que estão no climatério é essencial não apenas para reabilitação do assoalho pélvico, mas por considerar todas as condições de equilíbrio posturais nas quais os movimentos se organizam. Deve-se levar em conta os fenômenos vasomotores como indícios de alterações das condições de ajuste e de resposta do corpo.

No contexto terapêutico, a Reorganização Tônica e Fásica da Postura e do Movimento (RTFPM®) desenvolveu uma linha de raciocínio e conduta em relação à mulher de forma à considerá-la em processo de transformação, levando em consideração as alterações fisiológicas que predispõem as patologias e as instabilizações posturais. Ao intervir de maneira ativa nos mecanismos que controlam a postura, a RTFPM® incorpora a Medicina Chinesa para integrar e compreender melhor a fundamentação dos distúrbios do climatério e do envelhecimento.

De acordo com a literatura, a Medicina Tradicional Chinesa preconiza que a severidade dos sintomas do climatério estão na dependência de condições pré-existentes, dos hábitos dietéticos e do estilo de vida levados por anos a fio. Assim, é muito importante que a mulher compreenda a importância em interferir no estilo de vida. Assim, é fundamental conhecer previamente as alterações presentes na mulher no climatério e suas possíveis repercussões na qualidade de vida, para possibilitar a sua aplicação clínica.